Seja bem-vindo. Hoje é

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

CHUVAS CONVECTIVAS E ALGUNS TEMPORAIS ISOLADOS MARCARAM O DOMINGO EM SC

Figura 1 - Imagem do satélite GOES-13 - Via CPTEC-INPE
O domingo (22) foi marcado pelo início precoce das pancadas de chuva com descargas elétricas, comuns nesta época do ano. Nem bem terminou o almoço e células convectivas já se espalhavam pelo estado. A imagem do satélite GOES-13 acima (Figura 1) mostra bem essas "pipocas" sobre nosso território. Na imagem do radar da Secretaria de Estado de Defesa Civil de SC localizado em Lontras (Figura 1), podemos ver o início dessas instabilidades por volta das 13h:23 de ontem. Veja que o Meio Oeste, Planalto Sul, Litoral Norte e Grande Florianópolis já tinham até núcleos de chuva moderada (cor laranja), sendo alguns até forte (cor vermelha).

Figura 2 - Radar Lontras - 22/01/2017 13h:23 - Via Facebook da SDC - SC
Ao longo da tarde essas células se espalharam cada vez mais pelo estado. A próxima imagem do radar de Lontras (figura 2), no horário das 15h:38, mostra que no meio da tarde já havia áreas com pancadas de chuva isoladas agora também abrangiam o Vale do Itajaí e Planalto Norte, além das regiões citadas anteriormente. Destaque para a região de Caçador (Meio Oeste), Urubici (Planalto Sul) e Mafra (Planalto Norte), onde a chuva era forte.

Figura 3 - Radar Lontras - 22/01/2017 15h:38 - Via Facebook da SDC - SC
Durante essa primeira metade da tarde as estações meteorológicas confirmavam o que as imagens de radar mostravam. Como exemplo podemos citar Joinville, onde a estação meteorológica do Cemaden registrou 27,3 mm de chuva entre as 14h:50 e 15h:30, sendo que nos primeiros dez minutos havia precipitado 11,6 mm. Em Santo Amaro da Imperatriz, choveu 21,6 mm entre as 17h:40 e 17h:50, ou seja, em apenas dez minutos! Continuou chovendo após essa pancada forte, acumulado 43 mm no total do dia. Na região Oeste, o município de Campo Erê teve em apenas 10 minutos 14 mm de chuva, que iniciou por volta das 15h:20.

No final da tarde para a noite, células convectivas com áreas de chuva moderada e até forte continuavam atuando pelo estado. Entre as 19h:10 e 19h:30 o município de Witmarsum no Vale do Itajaí registrou acumulado de chuva de 28 mm. Já em Timbó Grande, um pouco mais cedo, precipitou 22,2 mm entre as 17h:10 e 17h:30. No Litoral Sul, Grão Pará teve 30,2 mm de chuva entre as 16h:40 e 17h:00.

Em alguns locais, a precipitação foi acompanhada de granizo isolado, além de ventos fortes, como foi o caso de Água Doce e Dionísio Cerqueira, que tiveram respectivamente velocidades de 65 km/h e 69 km/h. Como essas chuvas são muito isoladas, é bem possível que chova num bairro e no outro não, ou então num município, mas nas proximidades nenhuma gota. No meio dessas chuvas isoladas, algumas provocaram enxurradas devido a drenagem urbana não conseguir vencer tanta água em tão pouco tempo. Foi o caso de Catanduvas, no Oeste, conforme mostra o vídeo enviado pelo coordenador regional de Defesa Civil, Adair.

video

A figura abaixo é uma carta sinótica, ou seja, descrição visual dos sistemas meteorológicos atuantes.
Podemos notar que durante o domingo Santa Catarina tinha influência de dois sistemas marcantes, que fizeram as pancadas de chuva chegarem mais cedo. Um era o cavado (área alongada com baixa pressão do ar) entre a Argentina e Sul do Brasil. Outro é um sistema de baixa pressão no mar bem próximo do litoral catarinense. Esses sistemas formavam uma grande área com convergência de ventos úmidos sobre Santa Catarina, dando gatilho as convecções, ou seja, subida do ar para formação das nuvens de tempestades.

Figura 4 - Carta sinótica - 22/01/2017 12h (UTC)
Continue acompanhando as publicações do blog, para saber o que aconteceu no tempo em SC e o porquê dos fenômenos!

Fonte de dados: EPAGRI-CIRAM, INMET, DEFESA CIVIL SC, CPTEC-INPE, BLOG PAULO TEMPO