Seja bem-vindo. Hoje é

sábado, 26 de setembro de 2009

ÁREA DE BAIXA PRESSÃO PROVOCOU TEMPORAIS EM PARTE DE SANTA CATARINA

O sábado foi marcado por temporais em algumas partes de Santa Catarina. Após o meio-dia, instabilidades já se organizavam no oeste catarinense como vê-se na imagem de satélite abaixo, disponível no Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos - CPTEC. As cores indicam a temperatura do topo das nuvens.

Houve registro de chuva em São Miguel do Oeste, porém pouco acúmulo na estação do Instituto Nacional de Meteorologia - INMET. Logo depois, perto das 14 horas, as nuvens mais desenvolvidas se deslocavam para o meio-oeste. Nesse horário, Xanxerê já tinha chuva, com volume horário de 7 milímetros (7 litros de água por metro quadrado) e ventos de até 42,4Km/h na estação do INMET. Observe na segunda imagem, a instabilidade sobre a região.

A instabilidade ia ganhando tamanho e força, porém tinha uma rápido deslocamento, alcançando o planalto serrano e parte do Vale do Itajai. No município de Curitibanos, por volta das 17 horas ocorreu um intenso temporal, com rajadas de vento de 63Km/h e precipitação de 17,2mm em menos de uma hora. Em Indaial foi registrado 7,8mm de chuva às 8 horas da noite. Na próxima imagem do satélite GOES, verificamos as nuvens carregadas sobre o centro do Estado.

Durante a noite, a área de temporais se deslocou para o sudeste catarinense, provocando chuva, especialmente na Grande Florianópolis, onde dados de radares como o do Simepar e do Morro da Igreja, indicaram chuva bastante intensa localmente, com cerca de quase 70mm por hora, em média. Veja a foto de radar as 22h de hoje:

A imagem de satélite do horário também evidenciava tal situação:

De acordo com Estações monitoradas pelo Centro de Informações de Recurso Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina - CIRAM, na região da Grande Florianópolis, choveu 14,2mm em São José, 13,3mm em Anitápolis e 11,4mm em Florianópolis. Na estação Paulo Tempo (não oficial), localizada na parte continental da capital, foi registrado 17,0mm. Segundo a defesa civil, houve danos devido ao granizo em Biguaçu e Governador Celso Ramos. No sul do Estado houve menos chuva, porém o que chamou a atenção foi o vento em Laguna que chegou aos 92,1Km/h!

O motivo para essa instabilidade é a formação de um cavado (área de baixa pressão alongada) em baixos níveis da troposfera, o que permitiu que o ar subisse e com a ajuda de ventos úmidos e quentes vindo da Amazônia, formasse nuvens carregadas. A orientação desse cavado era de sudoeste para nordeste, como vê-se na ilustração abaixo feita por mim. Tal orientação, também foi notada na disposição das nuvens.

No momento, a maior parte do sistema de convecção está no mar. No entanto, espera-se novas instabilidades para o domingo em SC, com chuva forte. Veja a previsão de chuvas no mapa abaixo, retirado do site do CIRAM.


Note que pode chover até 80 milímetros até o fim do domingo. Em breve mais informações aqui no blog Paulo Tempo, Até mais!

DADOS: INMET, EPAGRI-CIRAM, REDEMET, SIMEPAR, CPTEC/INPE, DEFESA CIVIL SC.

Nenhum comentário: