Seja bem-vindo. Hoje é

domingo, 14 de março de 2010

UM DOMINGO DE EXPERIÊNCIAS

Hoje, domingo dia 14 de março de 2010, foi um dia de experiências para eu (Paulo Ricardo Hames) e meu amigo do curso técnico de meteorologia do Instituto Federal Santa Catarina Piter Rafael Scheuer. Somos dois amantes dessa ciência maravilhosa, a ciência atmosférica. 

Bom vamos a experiência. Queriamos há algum tempo encontrar um meio de medir a temperatura há alguns metros do chão. Isso é feito todos os dias nos aeroportos do mundo inteiro, por meio de um balão de gás hélio ou hidrogênio, acompanhado de uma radiossonda, a qual mede as variáveis meteorológicas (temperatura, pressão atmosférica, etc) ao longo da camada troposférica, chegando até o topo da mesma, dependendo das condições do dia. Sabemos que a temperatura e a pressão atmosférica diminuem com a altitude. Em nosso caso o que nos interessa no momento é a temperatura. 

De acordo com Comando da Aeronáutica, as observações tem que ser feitas as 00h e 12h UTC (-3 horas no Brasil), sendo que o balão deve ser lançado 30 minutos antes, para que esteja pelo menos acima já do nível de 500 hPa (5km de altitude) no horário prescrito.Em nossa experiência, não realizamos no horário padrão, sendo feita por volta das 15h local. Para tal, usamos uma pipa, daquelas em formato de morcego bem resistentes e um termometro de mínima e máxima analógico, também chamado de termometro de Six. O instrumento consite dois termômetros de mercúrio e álcool em um só, como mostra a figura abaixo:

O lado esquerdo mede a temperatura mínima, mediante aquele filete azul, sendo o mesmo procedimento para o lado direito onde se dá a máxima temperatura.

Confira abaixo o vídeo com o vôo de nosso "morcego sonda". 




A experiência foi realizada no bairro Campeche em Florianópolis, sob a condição de céu nublado a encoberto (nuvens altostratus e altocumulus com asperatus). Foi utilizado na pipa uma linhaa de anzol de 100 metros de comprimento, para melhor resistência. Como a pipa fica inclinada, esse valor reduziu-se para em torno de 90 metros. Em superfície foi verificada uma temperatura de 26,5ºC. Após a pipa ter subido, deixamos-a um pouco em altitude e depois capturamos-a. A temperatura mínima observada a 90 metros foi de 23,5ºC, ou seja, 3ºC de variação em relação a superfície. Analisando a radiossondagem do aeroporto de Florianópolis as 12h UTC, nota-se uma temperatura a 5 metros de 26,0ºC, contra 24,6ºC a uma altura de 58 metros, ou seja, variação de 1,4ºC em 53 metros. Veja:

Mediante a essa comparação com os dados do aeroporto, pode-se afirmar que nossa experiência se mostrou coerente. Porém vamos arriscar mais. No próximo domingo tentaremos com uma linha superior a 200 metros. Você acompanha tudo aqui no blog. Até lá!

DADOS: REDEMET, CPTEC/INPE

Um comentário:

camila disse...

Camila,Fpolis-SC
Olá Paulo acompanho o blog há algum tempo e tbm sou formada Tecnica em Meteorologia pelo IFSC, qdo ^vc entrou no curso eu estava no 3º módulo. Gostaria de saber mais sobre como acoplaram o termômetro de six na pipa, visto que dependendo da posição do termomêtro ele desmarca a temperatura captada.Deixo meu e-mail para contato é camila.meteoro@gmail.com.
Desde já agradeço